Correio de Carajás

Justiça Federal suspende trabalho presencial de médicos do INSS

Decisão também suspendeu corte de ponto de peritos ausentes

INSS

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
31 Visualizações

A Justiça Federal no Distrito Federal (JFDF) suspendeu a volta ao trabalho presencial de médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A decisão vale para todos que atuem em agências que tenham adotado padrões menos rígidos de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus. O retorno havia sido convocado pelo governo na última sexta-feira (18).

O juiz Marcio de França Moreira, da 8ª Vara Federal de Brasília, também suspendeu o corte de ponto dos que não atenderam à convocação. De acordo com o INSS, 351 peritos médicos federais aptos a voltar ao trabalho compareceram a seus postos na terça-feira (22). O número representa cerca de 72% do total de 486 médicos que eram aguardados.

O magistrado atendeu a pedido de liminar (decisão provisória) feito pela Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais (ANMP). A entidade argumentou que um ofício publicado pouco antes do retorno ao trabalho colocou em risco a saúde dos peritos ao flexibilizar medidas de prevenção ao contágio por covid-19 nas agências da Previdência Social.

Entre as medidas flexibilizadas, segundo a ANMP, está a instalação de assentos laterais sem cumprir distanciamento mínimo de um metro, a dispensa de fornecimento de máscaras cirúrgicas aos segurados no momento da perícia e a não desativação de consultórios sem ventilação natural.

Após analisar o ofício, o juiz concordou que as “novas regras de inspeção das condições de trabalho comprometem a segurança dos trabalhadores e aumentam o risco de contaminação pelo coronavírus no retorno dos serviços nas dependências das Agências da Previdência Social (APS)”.

Ele determinou que o peritos somente têm a obrigação de retornar ao trabalho após a realização de novas inspeções que comprovem a adequação das agências a padrões anteriores e mais rígidos de prevenção ao contágio.

“Essa decisão preserva o direito à saúde, a dignidade humana e a segurança dos próprios segurados da Previdência Social”, afirmou o advogado Paulo Liporaci, que representa a Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais.

Procurada, a Advocacia-Geral da União (AGU) disse que “já está ciente da decisão judicial e analisando as medidas que serão tomadas, em conjunto com a Secretaria de Previdência do Ministério da Economia e o INSS”. (Agência Brasil)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Mais

Parauapebas: Sentimento de gratidão é depositado no Manto de Nossa Senhora

Parauapebas: Sentimento de gratidão é depositado no Manto de Nossa Senhora

A apresentação do Manto representa um momento de fé para a comunidade católica durante a programação do Círio de Nazaré.…
Justiça Federal dá novo ultimato para retirar famílias da Piçarreira

Justiça Federal dá novo ultimato para retirar famílias da Piçarreira

Quase quatro meses após a suspensão da liminar que desalojaria centenas de famílias que residem na área da Piçarreira, no…
Círio Virtual não impede centenas de fiéis nas ruas em Marabá

Círio Virtual não impede centenas de fiéis nas ruas em Marabá

Com tempo nublado e pouca movimentação nas ruas da cidade, o Círio de Nazaré de 2020 foi um dos mais…
Refugiados venezuelanos podem contribuir para desenvolvimento do país

Refugiados venezuelanos podem contribuir para desenvolvimento do país

Os venezuelanos que buscam refúgio no Brasil, deixando seu país devido à instabilidade política e à crise econômica, podem oferecer importante contribuição…
Desemprego subiu 27,6% em quatro meses de pandemia

Desemprego subiu 27,6% em quatro meses de pandemia

A população desocupada no Brasil, que era de 10,1 milhões em maio, passou para 12,3 milhões em julho, e, em…
Vacina chinesa não deu efeito colateral em 94,7%, diz estudo

Vacina chinesa não deu efeito colateral em 94,7%, diz estudo

O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou na tarde desta quarta-feira (23) que 94,7% dos mais de 50…